REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Archive for the ‘Poesia’ Category

Me arrumem uma paixão

with 10 comments

Por favor…
Eu não quero ver o pôr do sol!
Deixa o mar lavar a areia
O feriado ser transferido para Segunda feira
O lula preterir o Bisol ao Gabeira

Quero estar vibrante
Com o peito em brasa
Coração saltitante
Contigo em casa

Quero amanhecer com o corpo extasiado
Agarrado a ti e ao teu desejo

Não pretendo mexer um dedo do meu corpo
Quero continuar dentro de ti e do arco-íris
Navegando como um pirata submisso aos teus mistérios

Deixa eu te olhar nos olhos por mais de um século
Deixa que esta década se acabe
Que você volte
Que os burgueses tentem mais um golpe
Que o guarda da esquina me anote

Eu só quero a ti!

Não importa que a república fez cem anos
Nem que você me chame mais
Por favor…
Eu só quero uma paixão
Nem que seja por um segundo

Deixa o poeta Affonso Romano de Sant’Anna se preocupar com o pamonheiro
E o antropólogo criar frases numa sala de aula da PUC
Eu não quero cheirar pó e morrer de overdose
Eu não quero encher a cara e acordar ao meio dia
Eu vou terminar o curso de fotografia
Mas nada antes de uma paixão por ti!

Eu não quero ler nada de vôlei no caderno de esportes do JB.
Não quero ler nenhuma crítica sobre um show dos Engenheiros…
Eu só quero você!

Eu não me importo que me chamem de otário
Nem que eu não seja universitário
Eu só quero o apartamento da Hilário para amar você!

Eu não sei se te amei certo
Se fui muito direto
Se tornei teu sonho na cama concreto
Ou me atrapalhei demais

Me arrumem uma paixão!

Eu quero nosso amor secreto
Um secretíssimo dialeto que já foi meu por um trajeto
Eu quero mais tesão!

Quero me lambuzar na tua boca por mais de uma noite
Deixa o Brasil mudar ou então vamos mudar o Brasil pra favela da Rocinha
Deixa o socialismo chegar
Deixa eu te livrar do mal
Vamos ficar na social
E arrumar tempo pra se amar

Deixa eu tirar a tua roupa
Eu não me incomodo que você me dispa
Nem que revire os olhos depois de gozar
Deixa eu brincar contigo ou então vamos gozar juntos nossa paixão!

Eu não quero te ver mais armada
Vamos esconder a espingarda
Por favor…
Me arrume uma paixão
Ou se apaixone por mim!

Eu não quero mais olhar o teu retrato
Ou ficar te imaginando do outro lado da rua
Eu quero você inteira e nua

Estou farto!
Posso até ser um ingrato!
Ou ser considerado chato!
Mas só quero uma paixão!
Se é pecado, que me matem!

Vou anunciar nos classificados que…
Alugo
Compro
Ou aceito emprestado
Qualquer paixão por ti!

 

Ariston Sal Junior, em 08/04/91,
Que adaptou um poema de Nélson Carlos

Anúncios

Written by Joel Minusculi

setembro 12, 2007 at 12:16 pm

Publicado em Poesia

O grito

with one comment

Grito

Grito com as forças que tenho

Em meu Coração

Grito para os amigos

Que me estendem a mão

Grito pelas luzes

Que resplandecem no alto

Grito pelos pobres

Que dormem no asfalto

Grito para o mar que é imenso

Que quase não tem fim

Grito à poesia

Que clama dentro de mim

Grito para as montanhas

Só o eco me responde

Grito para o amor

Que se afasta e se esconde

Grito e minha voz

Soará na imensidão

Grito a todo mundo

Por um pouco de atenção

Written by Joel Minusculi

maio 27, 2007 at 7:12 pm

Publicado em Literatura, Poesia