REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Archive for the ‘Jornalismo’ Category

Quem quer ser um jornalista?

with 3 comments

Mudar o mundo. Essa era a primeira idéia que tinha na cabeça quando decidi virar jornalista. Se bem que tinha a parte de um dia virar apresentador de um telejornal importante e poder dar “boa noite” para milhões de pessoas. Mas a essência do negócio era poder fazer a diferença na sociedade em que vivo. Algo que soava imponente, heróico, com a idéia que poderia levar o mundo nas mãos.

O caminho que fiz para me tornar jornalista foi através de uma faculdade, porque na época da minha decisão não havia alguns detalhes que hoje permitem pular essa etapa. Nesse tempo encontrei muitas provações para a minha idéia de mudar o mundo. A maioria delas desconstruiu, obliterou e fez migalhas dos modelos e dos dizeres comuns, de quem “não faz parte do meio” – concepções que você que está lendo agora pode também ter.

Em primeiro lugar, aprendi que jornalistas não são aqueles que vão mudar o mundo sozinhos. Isso foi um tapa na cara do meu sonho de me tornar um tipo de Clark Kent. Muitos representantes da profissão têm o ego inflado, mas não passamos de meros relatores do cotidiano. Na verdade, a nossa importância está em ser a conexão entre as partes envolvidas, traduzir e contextualizar a informação, deixar claro para a dona Maria como que a mudança na alíquota nacional do tal Ministro vai mudar o orçamento da sua casa.

Com o passar dos anos de faculdade, aprendi que a liberdade de expressão existe sim, mas para ela ser efetiva depende de quem ela incomoda. Não há mais (tantas) mortes e torturas contra jornalistas. O que há agora é o cerceamento através de demissões, cortes de salários e desmoralização dos profissionais. E sabe o que é pior? Muito pouco disso chega ao grande público, porque são raras as vezes que jornalistas são a notícia.

Muita desmotivação para continuar como jornalista? Pois no mês que eu iria retirar meu diploma um cara do alto governo disse que não precisava mais estudar para ser jornalista. Muitos colegas e eu nos sentimos roubados em um primeiro momento, pois mais de quatro anos estudando se tornaram irrelevantes oficialmente.

Há um ano sou jornalista por formação. Enfrento todos os desafios que foram alertados na academia. E por que eu continuei mesmo com todos esses detalhes? Porque aprendi nesse contato com os mais diversos níveis sociais, na teoria e na prática, que jornalistas não podem mudar o mundo, mas podem ajudar as pessoas certas a entender a importância da mudança.

Anúncios

Written by Joel Minusculi

abril 7, 2010 at 1:46 pm

Reconfigurações da Imprensa no Webjornalismo Participativo

with 5 comments

No dia 13 de Julho defendi em banca meu Trabalho de Conclusão de Curso intitulado “Reconfigurações da Imprensa no Webjornalismo Participativo – uma análise do Leitor-Repórter, do diario.com.br”.  Graças a orientação do meu professor e mestre, Dr. Rogério Christofoletti, consegui a nota máxima de avaliação (apesar de muitos apontamentos feitos pela banca julgadora). Confira abaixo o resumo do trabalho e, em seguida, a íntegra do meu trabalho final. Se você é da área da comunicação, fique a vontade para usar em suas pesquisas (citatando a fonte, por favor) e divulgar. Se você não for, aproveite e aprenda um pouco mais sobre um fenômeno cada vez mais presente nos portais de notícias – que é a produção de conteúdo por pessoas “não profissionais”. Use os comentários para retificações, complementos e outras coisas que queira completar sobre o trabalho. Afinal, a idéia da internet é compartilhar e construir coletivamente (você pode salvar uma versão em PDF no seu computador clicando em “more” e depois “save document”).

View this document on Scribd

Joel Minusculi
Que pretende divulgar o quanto puder esse seu trabalho

***

PS: Leiam com atenção os agradecimentos, na página 4.

Written by Joel Minusculi

agosto 7, 2009 at 8:01 pm

O império sob ataque

with one comment

 

Não é que eu veja conspiração em tudo, ou que eu repare em todos os detalhes. É que a revista Veja dessa semana (10 de outubro) veio com uma capa muito interessante. Ela faz referência a matéria sobre a briga das emissoras Globo e Record, na disputa de audiência. O grupo liderado pelos Marinho é praticamente um império (!) nas comunicações nacionais. Já as outras, como a do Bispo Edir Macedo, tentam abalar a estrutura, como em um golpe de república (!). Em uma rápida analogia da imagem, é mais ou menos como em Star Wars.

Repare como o fundo da capa da Veja (dir) é no espaço, que as câmeras são como naves e a logo da Globo é descaradamente parecido com a Estrela da Morte (esq) – até o detalhe da protuberância. Para um comparativo melhor, veja Star Wars episódio VI – O Retorno do Jedi.

Written by Joel Minusculi

outubro 9, 2007 at 10:59 pm

Publicado em Devaneio, Jornalismo