REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Amarras

leave a comment »

Quando vemos o resultado final de uma produção, muitas vezes, nem temos noção do que foi passado. No documentário “Amarras”, de Letícia Kapper, a vida dos detentos de Santa Catarina é ilustrada através de alguns casos particulares. Toda a dificuldade, tanto dos personagens, quanto da produção, é contada de forma muito interessante no blog da produção. Vale a pena conferir!

Amarras visíveis e ocultas impedem que Katya Regina Costa, 28 anos, siga pelo caminho banal aos olhos do mundo, mas feliz para uma presídiária. Ela só quer liberdade, ou seja, ter um emprego, uma casa, uma família. Desde os oito anos morou na rua e furtou para sobreviver. Em 2006, encontrou um “lar”, o Presídio Feminino de Florianópolis, onde permaneceu cerca de dois anos.

Em meados de 2008 passou a cumprir pena em regime aberto, quando tentou fugir do mundo do crime tão atraente, costumeiro. Nos primeiros dias de cerca de dois meses de “liberdade”, fez as refeições junto com as detentas, procurou emprego e dormiu na área íntima da unidade carcerária, até ser descoberta. A jovem, sem nada a perder, denunciou à imprensa um possível abuso por parte dos policiais: eles teriam batido nela a ponto de lhe deixar com hematomas nas costas. Os meios de comunicação também lhe fizeram vítima através de reportagens sensacionalistas, sem a mínima preocupação de discutir o assunto, aproveitando-se apenas do extra-ordinário.

A pernoite passou a ser num banheiro de um bar próximo ao Presídio Feminino. O local umido era tão pequeno que não a permitia ao menos esticar as pernas para dormir. Mesmo diante dos obstáculos, Katya não desistiu e foi pedir emprego em programas de televisão. O sucesso em frente as câmera da comovente história da moça não teve continuidade e ela acabou voltando para trás das grades. A liberdade tão sonhada virou frustração e, desde o dia 31 de julho, reside no Presídio Feminino de Mafra, oeste de Santa Catarina. Assim como Katya. pelo menos 80% dos 11 mil presos do Estado vivem o drama da reincidência.

Se a oportunidade para conquistar uma vida digna não existe, um homem livre também não.

Letícia Kapper

Written by Joel Minusculi

fevereiro 11, 2009 às 8:52 am

Publicado em Vídeo

Tagged with

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s