REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Triângulo amoroso

leave a comment »

Dentre os personagens mais famosos do carnaval estão Pierrôt, Columbina e Arlequim. Estes são inspiração tanto para fantasias, como para canções que fazem referência a uma triste história de triângulo amoroso. O que pouca gente sabe é como se deu o acontecido. Uma das versões mais famosas do conto é uma encenada nos antigos teatros itinerantes da Europa, a chamada Commedia dell’Arte. Abaixo, a versão segundo Pierrot ou lês secrets de la nuit, de Michel Tournier.

Pierrôt e Colombina cresceram juntos e eram muito amigos. Pierrôt se tornou padeiro e fazia pães e doces para alegrar a vida dos habitantes de sua cidadezinha e o coração de sua amada. Ele não tinha coragem de se declarar para Colombina, pois ele era muito tímido. Costumava escrever longas cartas de amor para sua amada, porém não tinha coragem de enviá-las.

Um belo dia de verão aparece na cidade um alegre trovador chamado Arlequim, que encanta a todos com suas histórias e canções. Colombina é seduzida e se apaixona por ele. Ela o segue deixando sua cidade e seu amigo Pierrôt, que fica muito triste e deprimido.

Chega o inverno e com ele dificuldades para a sobrevivência, Arlequim e Colombina sofrem muito. Em uma noite de inverno, ao contemplar a lua, a moça relembra seu amigo Pierrôt e encontra uma carta com uma declaração de amor. Ela fica emocionada e foge para retornar para sua pequena cidade e rever Pierrôt.

Os dois amigos se reencontram e vivem muito felizes juntos. Arlequim, com saudades de Colombina, também retorna e para permanecer perto de sua amada fica amigo de Pierrôt. Assim os três amigos vivem felizes para sempre em meio aos pães e doces deliciosos feitos por Pierrôt.

Sobre os personagens:

Colombina – jovem ingênua que fica entre a emoção de Arlequim ou a serenidade de Pierrôt.

Pierrôt – é o amor puro e verdadeiro que sabe esperar o retorno de sua amada. O amor sofre em silêncio

Arlequim – é a paixão que chega repentinamente e arraza corações. A paixão é passageira e perde seu encanto quando os problemas de relacionamento chegam.

Abaixo, o trecho final da peça, que até pode ser interpretado como funciona o desejo feminino (que muitos homens “pierrôts” quebram a cabeça para entender, enquanto muitos “arlequins” se aproveitam da situação).

 

“Não! não me compreendeis…

Ouvi, atentos, pois meu amor se compõe do amor dos dois.

Hesitante entre vós, o coração balanço, o teu beijo é tão doce, Arlequim… o teu sonho é tão manso, Pierrot…

Pudesse eu repartir-me e encontrar minha calma dando a Arlequim meu corpo…e a Pierrot, minha alma!

Quando tenho Arlequim, quero Pierrot tristonho pois um dá-me prazer, outro dá-me o sonho!

Nessa duplicidade o amor todo se encerra um me fala do céu… outro me fala da terra!

Eu amo, porque amar é variar e, em verdade, toda a razão do amor está na variedade…
Penso que morreria o desejo da gente se Arlequim e Pierrot fossem um ser sómente.
Porque a história do amor só pode se escrever assim um sonho de Pierrot e um beijo de Arlequim!”.

 

Joel Minusculi
Que sente pena do Pierrôt.

Written by Joel Minusculi

fevereiro 4, 2008 às 1:32 am

Publicado em Comportamento, Literatura

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s