REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Pequena Miss Sunshine

leave a comment »

Problemas acontecem até nas melhores famílias. Talvez não de forma tão inusitada como em Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine, 2006), mas certamente com o mesmo impacto para os envolvidos. O filme segue os Hoover, quando decidem se juntar para levar a filha caçula para um concurso de beleza infantil. Mas, antes disso, todos precisam lidar com questões pessoais muito mais complicadas do que uma prova de talentos.

O pai, Richard (Greg Kinnear), parece um livro de auto-ajuda ambulante, que dá lições motivacionais a todos, inclusive ele mesmo. O irmão, Dwayne (Paul Dano), quer entrar na força aérea e, para isso, fez um voto de silêncio absoluto até conseguir. A mãe, Sheryl (Toni Collette), preza pelo bem-estar de todos com sua imagem firme e intimidade sofredora. O avó (Alan Arkin) não quer saber mais nada da vida, além do seu vício pela heroína. O tio, Frank (Steve Carell), tenta uma reabilitação pós-suicídio entre eles.

Cada um vive e sofre em seu próprio mundo, que é um agravante na sucessão de muitos outros problemas. Já a pequena Olive (Abigail Breslin) só pensa no concurso de beleza e dedica todo o seu empenho e sorrisos para conquistar a coroa de Pequena Miss Sol. Sua ingenuidade e seu carisma a protegem da realidade caótica dos adultos e, ao mesmo tempo, servem para manter a família unida.

A história satiriza vários clichês de tragédias e a típica “família que enfrenta os problemas juntos”. Apesar disso, o filme tem forte apelo dramático. Todas as situações, ao mesmo tempo em que provocam o riso, sensibilizam e despertam no espectador o ressentimento por caçoar de algo tão sério para os personagens. Há muitas lições e metáforas ao longo do filme, especialmente com a Kombi amarela, em que só a união faz a vida andar.

Outro ponto de destaque é a saturação, tanto nos tons da fotografia, quanto na demonstração de sentimentos pelos atores. As cores são intensas, fortes e impressionam pelo contraste, assim como a atuação dos atores. Se os personagens fossem comparados a cores, a performance de cada um deles se encaixaria como cores dentro de um arco-iris de sentimentos.

Pequena Miss Sunshine é sobre a busca da realização pessoal e dos envolvidos no processo. Ele mostra como as pessoas sofrem demais com preocupações sobre a vida, o que agrava ainda mais os problemas. Tudo não passa de mais um episódio do cotidiano familiar, em que a vontade de cada um ajuda na resolução dos problemas. Afinal, todos têm direito a um lugar ao sol e de aproveitar a vida, mesmo se for só em um concurso de beleza infantil.

Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine, 2006)
Roteiro: Michael Arndt
Elenco: Abigail Breslin, Greg Kinnear, Paul Dano, Steve Carell,
Direção: Jonathan Dayton e Valerie Faris
Duração: 101 minutos
Gênero: Comédia

Anúncios

Written by Joel Minusculi

junho 11, 2007 às 4:10 am

Publicado em Cinema

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s