REFÚGIO

comunicação, tecnologia e outros devaneios

Blade Runner, o caçador de andróides

with one comment

Blade Runner

A ficção científica tem um dos maiores desafios entre os gêneros do cinema. Não só por lidar com universos paralelos ou previsões de futuro, mas criar uma narrativa atraente na relação entre os elementos apresentados – alguns que só existem na imaginação do roteirista. Além disso, a visão do presente nesses filmes pode levar à reflexão do futuro real. Nessa categoria, Blade Runner – O Caçador de Andróides (Blade Runner, 1982) é um clássico e maior exemplo prático dessas idéias.

A história se passa na cidade de Los Angeles, no ano de 2019. Em uma breve introdução é contextualizada a relação entre a humanidade e os chamados “Replicantes”. Estes últimos eram andróides idênticos aos seres humanos, porém, mais rápidos, fortes e espertos que seus criadores. Eles eram utilizados como escravos para a exploração espacial, um serviço pesado e perigoso.

Houve então uma revolta em uma colônia de Replicantes. Estes andróides foram considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. Assim, para o controle da situação, entrou em cena a brigada especial Blade Runner, uma espécie de unidade policial com ordem para eliminar qualquer Replicante quando identificado. “Isso não se chamava execução, mas sim afastamento”, como explica o texto inicial.

Uma cidade tomada por prédios com mais de cem andares e carros voadores é o cenário apresentado, onde Deckard (Harrison Ford) é incumbido de eliminar quadro “bonecos” recém chegados ao planeta. Nessa busca, o caçador percorre a versão futurista de muitos ambientes comuns do dia-a-dia e, em muitos deles, nem o avanço tecnológico conseguiu acabar com a pobreza e miséria.

A fotografia cheia de sombras e a grande maioria de cenas durante a noite indicam um futuro obscuro para a humanidade. Ainda nas perspectivas, é possível perceber no filme a grande influência dos povos orientais na sociedade de América do Norte, com muitos luminosos e o mandarim fluente em Los Angeles – isso que se começou a tratar agora em nossa realidade da ascendência de países como a China e o Japão no resto do mundo.

Na caracterização do filme, aspectos como o envolvimento da mocinha, que no caso é uma Replicante, com o protagonista e o clima noir remetem imediatamente à histórias de detetive. Diferente das outras películas do gênero, Blade Runner apresenta uma sociedade sem muitas extravagâncias, a não ser por cenas nas ruas em que, talvez como reflexo do ápice da globalização, é possível perceber Judeus, Krishnas e Islâmicos se esbarrando amigavelmente na multidão.

No que diz respeito aos Replicantes, estes pouco se assemelham a andróides, pois são cópias geneticamente melhoradas, de carne e sangue, de humanos. Eles estariam mais para os clones, tão pouco falados na época e tão famosos hoje em dia. É interessante perceber que esse debate ético com esse tipo de cobaias é permanente, inclusive no cinema, como visto recentemente no filme A Ilha (The Island, 2005) – filme que pode ser considerado um “Replicante” do universo de Blade Runner, no que diz respeito à roteiro.

Mesmo com a falta de efeitos especiais sofisticados, o diretor Ridley Scoot e sua equipe de produção conseguiram criar um conto em que cada personagem tem suas motivações, seja do caçador que se envolve com uma de suas caças ou dos bonecos que só querem um pouco mais de vida, assim como seus criadores.

Blade Runner agora está restrito às prateleiras mais baixas da seção dos filmes baratos nas locadoras e na grade da madrugada da televisão, mas sempre seus genes servirão de base para os clones cinematográficos da ficção científica. Vale conferir uma história envolvente e se espantar com as perspectivas de futuro daquele tempo, que hoje se tornam tão presentes.

 

Treiler – Blade runner
Ficção Científica
118 minutos
1982

Written by Joel Minusculi

maio 19, 2007 às 4:38 pm

Publicado em Cinema, Resenha

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. seu amante do cinema e o filme, blade runner, é um dos mais belos e completos filmes ja feitos no mundo , não perde para mimguem ,
    gosto … gosto ,,, gosto ;;;;
    quem poder mandar mais assuntos sobre .. porfavor meu email é celio_gladiador@hotmail.com.
    gostaria de saber se ha alguem que tem copias do filmes eu me entereço.

    celio monteiro

    setembro 2, 2007 at 7:49 am


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s